Tipos e estados da pele
Cuidados do rosto,  Cuidados de beleza

Tipos e Estados da Pele – Diferenças e Como Cuidar

Hi Beautis! Tipos e Estados da Pele!

Tipos e Estados da Pele – Diferenças e Como Cuidar!

Cuidar da pele extrapola os cuidados de pele e de beleza. Cuidar da pele é um momento de auto-cuidado e de amor próprio. Quando nascemos a maioria de nós tem a pele normal, e enquanto crianças mantemos, normalmente esse tipo de pele. Todavia, com a altura da puberdade tudo muda.  A nossa pele muda e pode ganhar características típicas de cada tipo e estados de pele. Neste artigo vamos falar deles, e de como podes cuidar se estiveres na dúvida.

Tipos e estados da pele

Segundo o que eu aprendi, existem dois tipos de categorização da pele, é o tipo e o estado. Vamos analisar  as diferenças entre tipo e estado e tentar, de uma forma algo básica, como podes definir o tipo e estado da tua pele. E assim, ajudar-te a escolher melhor os cosméticos que utilizas. Lembra-te que esta explicação não invalida que procures um profissional da área da beleza ou um dermatologista.

Vou basear a explicação na forma como aprendi e simplifica-lá ao máximo. É  necessário relembrar que, como em todas as áreas científicas, existem enumeras teorias e formas diferentes de explicar, esta é a que considero mais empírica e simples.

O que é o tipo da pele?

O tipo de pele é a classificação da pele segundo a quantidade de sebo que esta produz. Define-se que ao longo da vida temos três tipos de pele:

• Pele normal- Em bebés e crianças até à fase de adolescência. Caracteriza-se pelo equilíbrio da pele, fofinha, sem borbulhas (sebáceas), sem rugas e sem escamação.

• Pele oleosa – Desde o início da adolescência até mais ou menos aos 50 anos (em caso de uma pele masculina ou negra pode-se prolongar até aos 65/70 anos). Caracteriza-se por uma pele que produz gordura (independentemente da quantidade), pode apresentar pontos negros, borbulhas (com ou sem pus, hormonais ou não), poros dilatados ( visíveis a olho nu), e o típico brilho natural.

• Pele alipica (ou seca) – Geralmente, desde os 50 anos. Caracteriza-se pela falta (ou inexistência) de oleosidade da pele, é uma pele seca ao toque, apresenta rugas (normalmente profundas), indícios de falta de firmeza, poros invisíveis a olho nu. Não apresenta borbulhas (sebáceas) nem pontos negros.

Tendo isto em consideração, pode-se dizer que o tipo de pele é catalogado pela actividade das glândulas sebáceas, que são responsáveis pela produção da gordura natural da pele. O nosso tipo de pele é bastante estável e a mudança entre um tipo de pele e o outro tende a ser gradual. As idades que foram apresentadas em cima são o que é geral, mas devido a alterações hormonais, doenças, fármacos, excesso de exposição solar, etnia, entre outros pode ser variável.

O que é o estado da pele?

O estado da pele é exactamente o que o nome indica, é como a pele está agora. Ao contrário do tipo de pele, o estado pode ser brutalmente variável tendo em consideração todos os factores externos e internos, por exemplo, coisas que alteram o estado da nossa pele, a quantidade de água que ingerimos, a nossa alimentação, o clima, fármacos, o nível de poluição, a exposição solar, o ciclo menstrual, entre muitos outros. É aqui, nos estados da pele que se encaixam coisas como a falta de hidratação, o acne, a vermelhidão,etc…

Assim sendo, Tipos e estados da pele são coisas diferentes. O estado é mais volátil, ou seja, altera com mais facilidade.

Existem imensos estados de pele diferentes, e a mesma pessoa pode ter vários estados simultaneamente, enquanto que tipo só temos um de cada vez. Alguns dos estados de pele mais comuns são:

• Pele Desidratada- É a pele que tem falta de água. Esta desidratação pode ser superficial ou profunda, mas de uma forma geral este estado da pele caracteriza-se por escamação, rugas (superficiais ou profundas), pode se apresentar áspera e em situações mais graves com alguma flacidez.

• Pele acneica- O acne é uma doença, e deve ser tratada como tal, desta forma aconselho a caso aches que tens ou estás a começar a ter acne que fales com o teu médico. Existem vários tipos de acne, desde um acne que apenas apresenta excesso de oleosidade e muitos pontos negros, a um nível de acne que cria cistos, desta forma é importante que te aconselhes com um especialista na área da beleza ou da saúde.

• Pele sensível – Apresenta vermelhão com bastante facilidade, pode aparecer também algumas borbulhas sem pus, este estado de pele pode ser confundido com alergias. Este estado de pele tende a reagir a detergentes, mudanças de clima, ar condicionado etc. Dependendo da gravidade da sensibilidade pode ser uma coisa a considerar numa consulta com um médico.

• Pele mista – É o tipo de pele que é mais oleosa em determinadas regiões (geralmente na zona T, testa, nariz e queixo) e menos oleosa (ou até com falta de oleosidade) noutras.

Visto isto, é possível, e bastante normal, ter a pele oleosa (como tipo de pele) e notar sinais de pele desidratada , e sensível, por exemplo. Situações como ter a pele muito oleosa , acneica e sensível são bastante comuns, bem como, oleosa, mista e desidratada.

Tipos e estados da pele

Como agir em caso de dúvida?

Na minha opinião, aconselhamento profissional seria o indicado para qualquer tipo de situação, não digo um dermatologista, mas um profissional de confiança na área da estética, que tenha formação em cuidados de rosto, poderia indicar quais cosméticos a utilizar numa base diária e até, se necessário, aconselhar um tratamento específico para tentar minimizar os estados de pele. Mas como é óbvio, sei que nem toda a gente tem condições para o fazer (seja por motivos monetários ou até mesmo por falta de tempo), e desta forma preparei uma pequena lista de conselhos a ter em consideração que se pode aplicar a qualquer tipo e estado de pele.

1) Pesquisa – antes de pensares em comprares um cosmético, faz um pouco de trabalho de pesquisa sobre o mesmo. Procura opiniões de pessoas que se queixem dos mesmos problemas que tu, e lê as suas reviews, não apenas influencers, pessoas na mesma realidade que tu também, tem em consideração os comentários positivos e negativos e a quantidade de cada um.

2) Lê o rótulo – se não fores da área da beleza ou da saúde é provável que não entendas quase nada mas tenta perceber se tem muitos ou poucos ingredientes, de uma forma geral, quantos menos tiver melhor. Tem também em conta o que anunciam nas letras grandes, por exemplo, um creme que anuncie conter colagenio em letras grandes no rótulo mas, depois de leres os ingredientes percebes o colagenio vem em 20º lugar numa lista de de 25 ingredientes, isto significa que contém pouquíssimo colagenio (pois tal como nos alimentos, os cosméticos fabricados e vendidos na UE, vem com a lista de ingredientes por ordem de concentração, o 1º é o que está em maior concentração e o último em menor).

3) Experimenta antes de comprar – isto, na minha opinião, devia ser a lei dos cosméticos. De forma a evitar alergias, ou irritação da pele, testar um produto antes de o comprar é o mais indicado. Muitas vezes as empresas disponibilizam amostras ou Open Days em que existe essa possibilidade. No caso de um produto de supermercado, estes normalmente não tem amostras, podes experimentar diretamente no estabelecimento (nos testers), vais fazer as tuas compras e depois de 15 minutos, se não te tiver feito alergia podes comprar pois em princípio não fará.

4) Em último caso, HIDRATA- se não fazes Ideia do que usar, utiliza um creme de dia bastante hidratante (atenção hidratante não significa gorduroso!), limpa o rosto diariamente (de preferência de noite) com um produto simples e não te esqueças de hidratar outra vez. É muito rara a pessoa que não tem a pele desidratada e por isso em último caso, hidrata sempre.

Este artigo foi escrito pela querida Miriam Curado. Para mais informação ou marcações na zona de Lisboa segue pelo Instagram: @miriamcuradovetds

 

Poderás ter interesse: Soro Fisiológico no Rosto – 11 Benefícios para a pele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.